20 setembro 2013

por detrás de uma porta
em contra-luz: o resplendor.
porta de ferro encravada, não abre nem fecha.
à prova de bala, blindada,
como deveria ser o amor.

hoje, a cegueira.
largaram-me numa esquina,
em lugar novo e incerto.
em lugar qualquer.
abandonada,
não sei para que lado és tu.