06 junho 2013

horizonte e tranquilidade














ana cardoso (2006), muito, pouco ou nada, acrílico sobre
painel de três telas, 472 x ? 

quando descubro que a morte é minha vizinha.
veste peles esquisitas:
escreve-me postais de amor,
toca-me como se podesse ser a nossa última vez,
olha-me olhos nos olhos;
sem receios, deleito-me com os seus afagos.

abro-lhe o coração para que possa fazer parte de mim.
a ideia da eternidade traz tranquilidade. 








Sem comentários:

Enviar um comentário