28 maio 2013

o engano de Perseu

























que, nem Atenas, desejava ter poder para lhe dar a ele o que julga que só ele pode

a  nós, queria-nos, também, dentro de uma caverna
até ao tempo dizer ao tempo quanto tempo o tempo tem e
aì, sorrirmos com o coração, partilharmos a candura (que sei hoje ser pertença dos dois) e dizermos: tanto eu como o Perseu estávamos enganados, não existem corações de pedra.

Sem comentários:

Enviar um comentário