23 maio 2013

insónia # 58


agora que estás perante mim
apercebo-me que o meu coração me tolda a vista:
não te desenho como quando te desenho de cor
não sei os teus modos em mim
o teu corpo, suponho que nunca o saberei.
encontras-te demasiado longe do perto que te sei

não te sei desenhar.

Sem comentários:

Enviar um comentário