08 fevereiro 2011

quando volto ao mesmo sítio



querer olhar de frente para o rio e viver nele tudo o que o ampara. o outro rio não se lhe compadece e não lhe sinto falta.

perceber que lá em baixo também é família. uma casa cheia nunca é uma casa fria.
até março.

Sem comentários:

Enviar um comentário