02 julho 2007

bis [se os jovens soubesses, se os velhos pudessem]

apenas porque aqui já se tratou, mas ontem em vez do direita à salada com cannelonis veio o 'tempo'.


'À medida que nos movemos no tempo encontramo-nos constantemente numa linha que divide o futuro do passado. A nossa experiência mais imediata da realidade, o presente, é apenas aquele momento infinitesimalmente curto no qual o futuro se transforma em passado. É também o instante no qual as propriedades da realidade de alguma forma se invertem: o futuro é alterável mas desconhecido, o passado é conhecido mas inalterável (...) Quando dizemos que um acontecimento provoca outro, queremos obviamente dizer que o segundo acontecimento se segue ao primeiro no tempo. (...) O tempo não é, como às vezes se crê, apenas uma dimensão da mente humana, uma ilusão necessária da consciência. (...) O nosso universo tem quatro dimensões, embora a quarta dimensão, o tempo, tenha propriedades bastantes diferentes das partilhadas pelas outras três dimensões espaciais. (...) também nós, no nosso mundo tridimensional não nos conseguimos aperceber do tempo na sua totalidade, mas apenas nos seus infinitesimais momentos do presente. Ao que veio antes chamamos passado e ao que ainda está para acontecer chamamos futuro, mas a soma total do fenómeno tempo [no qual coexistem o passado, o presente e o futuro] é tão inimaginável como a ideia de uma esfera era para o Quadrado. '
Watzlawick, Paul in ' A realidade é real? '


ontem passado não se comeu bem. não sei que fazes neste preciso momento. quanto a mim escrevo pensamentos ao correr das teclas que não sei o sentido que irão fazer aquando o último ponto final. encara isto como um 'presente' das conversas que ficaram por ter. que ontem iniciamos. e se repetirão concerteza.

1 comentário:

  1. confesso que esse é um dos próximos livros. (mas isto é já desejo antigo.)

    j

    ResponderEliminar