03 novembro 2006

limbo








existo nele.
contam-se minutos segundos para que chegue nada. vontade de ter vontade.
nada outra vez.
a utopia e o sonho não têm imagem, som nem cheiro e a vida reclama-a.

Sem comentários:

Enviar um comentário